Lifestyle

Mistura protetiva – Lucilia Diniz


A alimentação pode proteger o cérebro para garantir longevidade e qualidade de vida. E um novo estudo revela os ingredientes certos para quem conta com estes benefícios.

Leia mais:

Chama acesa – A inspiração dos competidores que não se rendem nunca
Longevidade com qualidade – Ciência nos ensina a envelhecer melhor

Os cientistas identificaram três antioxidantes como ligados ao fortalecimento da saúde psychological contra o declínio cognitivo.

O estudo foi feito Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.

Nele, foram analisadas amostras de sangue de mais de 7 mil pessoas com mais de 45 anos.

Todos foram monitorados por 16 anos, tendo sido avaliado o risco de desenvolver demência.

As amostras foram divididas em três grupos baseados na quantidade de antioxidantes.

Nelas, os pesquisadores perceberam uma queda de 7% no risco de ter demência a cada 15,4 micromols por litro a mais de luteína e zeaxantina.

An opportunity de ter a doença diminuiu 14% a cada 8,6 micromols por litro a mais de beta-criptoxantina.

A luteína e zeaxantina estão presentes em vegetais folhosos verdes (como a couve, o espinafre e o brócolis).

Em destaque também estão as ervilhas.

Já a beta-criptoxantina pode ser encontrada em laranjas, tangerina, caqui e no mamão.

“Estender as funções cognitivas das pessoas é um desafio de saúde pública importante”.

A explicação é da principal autora do estudo, a pesquisadora May Beydoun.

“Os antioxidantes podem ajudar a proteger o cérebro do estresse oxidativo, que causa danos às células”.

O estudo foi publicado na revista científica Neurology.

Procure sempre um médico ou nutricionista antes de usar suplementos nutricionais.

Tags: antioxidantes, declínio cognitivo, longevidade, Lucilia Diniz,

Share on Facebook



Source hyperlink

Leave a Reply

Your email address will not be published.