Business News

Os planos do TikTok para sua primeira vez em Cannes – Cannes Lions


Thaís Monteiro
20 de junho de 2022 – 13h03

Os três anos de intervalo na realização do Cannes Lions também contabilizou um período de muitas mudanças no panorama da mídia — tanto em consumo quanto produtos — e registrou, sobretudo, a popularização do TikTok, plataforma de vídeos curtos da Bytedance. Por isso, e por seus avanços em termos de soluções publicitárias, pela primeira vez o app marca presença na Riviera Francesa com duas instalações principais: um apartamento na frente do Palais des Festivals e um espaço na praia. O objetivo: chegar a milhões de anunciantes.

Em apresentação a imprensa, plataforma ainda detalhou esforços de brand safety e para lidar com a restrição ao uso de cookies de terceiros

Essa, na verdade, não é a primeira vez do TikTok enquanto equipe no festival de criatividade. Alguns poucos executivos estiveram no evento em 2019, quando a marca ainda era menor, até em estrutura. Com o crescimento, a empresa decidiu realizar uma ativação de grande porte, com o objetivo de apoiar clientes, introduzir o app para novos anunciantes e “trazer alegria, como o Cannes Lions”, declarou o presidente global de business solutions, Blake Chandlee. O apartamento será um espaço para reuniões, já o espaço da praia sediará painéis, encontro com creators e demonstrações ao vivo das soluções publicitárias.

Em apresentação à imprensa, realizada nesta segunda-feira, 20, executivos responsáveis pelo produto sublinharam que a principal intenção da plataforma no festival é introduzir o potencial do diálogo da publicidade com criadores de conteúdo e seu apelo comercial, tudo ancorado em soluções recém lançadas pelo TikTok, como o marketplace de creators, e os testes de recursos comerciais em alguns países. De forma geral, o posicionamento da plataforma é de ajudar as marcas a se conectar com os consumidores diante das mudanças dinâmicas de comportamento.

Soluções publicitárias

O marketplace de creators se trata de uma plataforma que visa facilitar a conexão de marcas com criadores de conteúdo, os tiktokers. A empresa ainda criou recentemente o Brand Missions, para aproximar anunciantes de criadores menores, pool de comunidades para anúncios contextuais separados por categorias de assuntos e disse que ainda está desenvolvendo recursos de shopping, baseado no sucesso da hashtag #TikTokMadeMeBuyIt (“O TikTok me fez comprar”, em tradução livre), em que usuários exibem produtos que compraram por influência de vídeos na plataforma, e do BookTok, comunidade de leitores que compartilham suas leituras e têm feito com que as vendas dos produtos subissem. A empresa ainda conta com um creative team in house para auxiliar anunciantes a se comunicarem.

Ray Cao, managing director e global head de estratégia de monetização e operação, afirmou que quer trazer de volta a experiência de compra espontânea, como a do shopping, em que o usuário pode navegar sem necessariamente saber o que vai adquirir. Já é possível esperar o lançamento de live shopping e image based shopping entre o final de julho e início de setembro. O executivo contou que a plataforma trabalha com marcas que são pioneiras no live shopping, como a American Eagle, para testar as soluções. “É um nível diferente de engajamento. É como comprar com seu melhor amigo”, afirmou. “Commerce vai ser um esforço significativo. Lançamos em alguns países, mas se conseguimos o commerce certo fica mais relevante para consumidores”, complementou Chandlee.

Para Sofia Hernandez, head global de business marketing, a comunidade de creators forçou os profissionais de marketing e criativos a evoluírem em termos criativos. Por isso, além de introduzir as soluções, o TikTok realiza cursos rápidos para ensinar marcas a trabalhar com criadores de conteúdo e se inspirar neles.

Brand safety e cookies

A marca também reforçou seus investimentos em segurança. Conforme  Francis Stones, lead de brand safety e industry strategy para a Europa, a empresa foca na segurança da comunidade, das marcas e política de anúncios. Em relação ao consumidor, a empresa tem um default restrito para o público de 13 a 18 anos, no qual eles não têm acesso a baixar conteúdo, realizar transmissões ao vivo e mandar e receber mensagens diretas. Os responsáveis ainda podem vincular suas contas com a do jovem. O trabalho com marcas exige transparência dos parceiros, mas usa machine learning para que os parceiros tenham controle sobre junto a quais conteúdos estão aparecendo.

Há restrições bem definidas em relação aos anúncios: não é permitido anúncios eleitorais e de assuntos que a plataforma não considera adequada para os usuários, como apostas, por exemplo.

A plataforma ainda introduziu seus esforços para promover uma publicidade sem cookies de terceiros, e sim de forma contextual. Segundo Chandlee, a indústria foi muito impactada pelas mudanças, inclusive a do sistema operacional da Apple, o iOS, mas o fato do TikTok ser novo em comparação com seus concorrentes ou demais empresas que tiveram que se adaptar, eles se dizem mais preparados para lidar com esse novo paradigma. 





Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.