Science & Tech

Pesquisa aponta que crianas e jovens brasileiros so os que mais usam eletrnicos no mundo


A McAfee divulgou os resultados da pesquisa Connected Family Study 2022, que busca levantar como está o comportamento digital das famílias em dez países avaliados, inclusive no Brasil, e os dados sobre as crianças e jovens chamam a atenção.

O levantamento apontou que uso da web começa cedo, ainda com os pais controlando o acesso de certa forma. 95% das crianças brasileiras de 10 a 14 anos usam um dispositivo móvel, contra a média de 76% dos pequenos no mundo todo.



Epic Games e LEGO anunciam parceria para construir metaverso seguro para crian





Curiosidade
07 Abr




O jogo virou! Crian





Tech
31 Mar


Entre 17 a 18 anos, esse índice sobe para 99%, no caso, 6% acima da média international. O estudo afirma ainda que os adolescentes com idade entre 15 e 16 anos atingem seu ritmo on-line e o uso aumenta significativamente a partir daí.

Já 71% dos pais brasileiros, por sua vez, estão preocupados com o tempo que seus filhos passam nos dispositivos. Desse complete, 39% afirmaram estar “muito preocupados”. No Reino Unido, esse índice é de apenas 11%.


Em busca de privacidade, 59% das crianças e adolescentes disseram agir de alguma maneira para ocultar suas atividades on-line, desde limpar o histórico do navegador até omitir detalhes sobre o que estão fazendo na vida digital.

Em relação à atividade geral, 79% das crianças brasileiras afirmam que passam mais tempo assistindo vídeos curtos, enquanto 76% dizem apenas navegar na web e outros 66% preferem jogar on-line.

Proteo por gnero



Outro ponto citado foi que os pais parecem ver meninos e meninas de forma diferente quando se trata de protegê-los on-line. Meninas de 10 a 14 anos eram mais propensas do que meninos da mesma idade a ter controles parentais no mundo digital.

O complete de 23% dos pais dizem que checam o histórico de navegação de suas filhas de 10 a 14 anos, e para os meninos, é apenas 16%. Já 22% dos pais restringem o acesso a determinados websites para meninas e apenas 16% para meninos.



Source hyperlink

Leave a Reply

Your email address will not be published.